Conheça o Projeto Portal e seu líder Urandir


Muitos acreditam que o Projeto Portal é uma seita, uma igreja ou apenas um mundo de fantasia onde os avistamentos de discos voadores e contato com seres extraterrestres e interdimensionais não passam de fraudes, faróis de milha ou invenção da mente dos seguidores. Isso pode parecer a realidade para quem não conhece o Projeto Portal. A verdade é que na região de Corguinho no Mato Grosso do Sul ocorrem intensos fenômenos ufológicos. Nessa região se localiza a fazenda boa sorte, onde se encontra o Projeto Portal, cujo líder é Urandir Fernandes de Oliveira conhecido como UFO.
Urandir é paranormal e já realizou diversos contatos com extraterrestres. Urandir começou a desenvolver sua paranormalidade desde criança e se intensificou na adolescência, quando trabalhava em Marabá Paulista como servente de pedreiro. Seu primeiro encontro com os sers foi aos 13 anos, ocasião em que puseram implantes em sua nuca, possibilitando a aceleração de suas ondas cerebrais. Isso facilitou seu contato com esses ets, aumentando também o desenvolvimento de sua paranormalidade.
Urandir foi dono de uma gráfica em Presidente Venceslau. Logo após mudou-se para o Rio de Janeiro onde relizou muitas palestras e cursos de auto ajuda e controle mental, repassando para a população os conhecimentos recebidos dos seres extraterrestres em seus contatos. Acabou, assim fundando a instituição Projeto Portal, hoje com milhares de participantes e associados, que trabalham em diversas pesquisas e investigações, não só na área de ufologia, mas também de arqueologia, alimentação, medicina, tecnologias, dentre outras áreas.



Em função de sua paranormalidade, Urandir foi entrevistado diversas vezes e convidado para participar de programas populares de TV. Com isso, Urandir ganhou espaço na mídia, mostrando a verdade sobre os ufos e aliens. Esse fato causou muita inveja em uma parte da comunidade ufológica brasileira que não tinha esse mesmo espaço para apresentar suas informações, tornando Urandir alvo de perseguições e uma vasta campanha de difamação. Essas perseguições envolveu a inversão e distorção de fatos publicados em revistas (como a revista Istoé) e programas de TV (incluindo até mesmo o Fantástico da rede Globo). Essa situação que envoveu famosos ufólogos do Brasil, se intensificou há alguns anos atrás, onde Urandir sofreu acusações e alguns atentados que puseram em risco sua pessoa, culminando em uma armação que o colocou injustamente por dois dias na cadeia. Foi acusado de ter vendido terrenos falsos. Foi comprovado que eram de sua legítima posse, atrevés de registros, documentos oficiais e escritura de compra e venda.
Esses ufólogos brasileiros não pararam por aí. Continuam a realizar intentos contra Urandir, sendo através de falsos testemunhos de pessoas, em palestras e seminários, site, revistas e outros meios. Não obstante tudo isso realizam falsas denúncias a instituições como polícia e receita federal, fiscalização ambiental e saúde pública na tentativa de prejudicar o trabalho de Urandir e dos integrantes e pesquisadores do Projeto Portal.
Para frustação maior desses ufólogos, o Projeto Portal persiste em suas pesquisas, atuando, muito além dos contatos e avistamentos com ovnis frequêntes na região de Corguinho, como em avançadas pesquisas amparado por instituições e autoridades militares brasileiras, aeronáutica, defesa civil, corpo de bombeiros, centro de pesquisas, universidades, entre outros.
Recentemente os pesquisadores do Projeto Portal tem investigado as ocorrências dos crop círculos, principalmente nas lavouras da região sul do país. Para auxiliar nas pesquisas, contam, além de informações coletadas nos locais, fotos e medições com detectores diversos, de dados do controle de tráfego aéreo, o Cindacta, do comando aeroespacial brasileiro, o comdabra, entre outros.

Isso é uma conquista que mostra que mesmo com muitas adversidades pode-se realizar uma investigação séria, cujo resultado vem a contribuir, não somente como simples notícias, mas sim com comprovação e informações que explicam fenômenos para o público em geral. Dessa forma, esses fenômenos não serão mais somente usados com intuito de tirar proveito de uma situação ou de um evento para um simples comentário em um noticiário ou para vender revista.
Compartilhar no Google Plus