Urandir usa sua paranormalidade em jogo de cartas

Em outubro de 1994, Urandir e seu amigo Ernani voltaram ambos à cidade de Aquidauana (MS).Certo dia, a convite de dois policiais, praticaram um carteado de truco. Combinada a parceria dos policiais versus Urandir e Ernani, teve início o jogo.O carteado deu-se à volta de uma mesinha de um bar, à vista do dono deste e de reduzido número de assistentes.Na largada, o jogo estava dando ampla vantagem para a dupla policial. Em dado momento, alguém da assistência sussurrou aos ouvidos de um dos policiais:Se Urandir quiser, ele ganha todas as partidas.De pronto, este retrucou de peito estufado, alardeando:Isto não existe!... E, ensorbecido, acrescentou:Acabei de fazer um curso de controle mental. Eu controlo tudo!...
Uma amostra de paranormalidade
Urandir (que via na sua tela mental todas as cartas do adversário), em resposta talvez à bazófia do policial, provocou uma virada repentina no placar do jogo, ganhando a partida seguinte. Depois, a segunda, a terceira... Daí para frente, levou vantagem em todas as partidas.Intrigado, o policial queria saber qual o processo mental que a parceria estaria usando para conseguir a súbita virada no jogo com as sucessivas vitórias.Simples, respondeu-lhe Urandir: Eu pergunto para o seu subconsciente, e ele me responde. Tudo o que você toca, você sabe o que é.Indignado, o policial lhe replicou:Eu não acredito!... E, enaltecido, prosseguiu:Fiz curso de controle mental. Vou bloquear minha mente. Você não vai mais acertar carta alguma. Ato contínuo, retirando uma carta do baralho e metendo-a no bolso, ordenou-lhe que a identificasse.Aí, após breve concentração silenciosa, Urandir (pretendendo captar a benevolência do policial e dos circunstantes) referiu tranquilamente:Na verdade, o curso que você fez é muito bom. Não estou conseguindo identificar a carta. (E fazendo uma brincadeira, arrancou risos de todos.)Então, identificando a carta apresentada, Urandir voltou-se ao público e anunciou alto e bom som:Três de ouro!Como é que acertou? - indagou-o o policial.Com certa ironia, mas com humildade, Urandir devolveu-lhe:Você aprendeu no curso como bloquear o seu pensamento. Você assimilou bem o método. E completou:Mas você se descontraiu, e seu subconsciente me disse qual era a carta.No intuito de desafiá-lo, a dupla policial e alguns dos presentes provocaram-no com mais testes de identificação de cartas. Sempre se portando com respeito e modéstia, Urandir agradou a todos. Para admiração geral, ele não errou um teste sequer.
Desafios à sua capacidade
O dono do bar assistiu ao carteado de truco.Por ouvir falar, sabia dos dotes paranormais de Urandir. Estava também informado que ele localiza ouro no subsolo, esmeraldas e diamantes.Objetivando mormente desafiar sua capacidade de paranormal, levou-o até um depósito de areia lavada, próximo de sua casa. Acompanharam-no os espectadores do jogo de cartas. Na areia do depósito, toda remexida, ele escondera uma aliança, incumbindo a Urandir para localizá-la. Que, em posição ereta, com o dedo indicador e médio esquerdo nas têmporas, estendeu a mão direita sobre a areia. Sem demora, a mão parou justamente sobre o ponto onde a aliança estava submersa.Em outra ocasião, uma vereadora, fazendeira, ao saber de seus dons paranormais, também o procurou para submetê-lo a testes de localização de metais preciosos. Mais interessada em solucionar problemas pessoais de saúde, oriundos de bloqueios que lhe obstruíam o caminho desde a infância, pediu-lhe a curasse. Livre das mazelas, convidou Urandir e a Ernani para conhecerem sua fazenda. Ali se encontrariam metais preciosos no subsolo. Percorrendo-a de ponta a ponta, Urandir constatou realmente a existência de metais preciosos. E dirigindo-se à fazendeira, transmitiu-lhe o seguinte:Na sua fazenda, há muito ouro, porém, as técnicas que existem para extraí-lo têm um custo muito alto. Aconselho-a a aproveitar a fazenda de outra forma. E reforçando seu conselho, concluiu:Melhor é você mudar de ideia.
Compartilhar no Google Plus